Andorinhão-estofador (Panyptila cayennensis) em Caratinga-MG (Foto: Rafael Vieira)

No dia 17 de Agosto de 2019, o observador de aves e membro do COA Brasil, Rafael Vieira, fez o segundo registro no Wikiaves do Andorinhão-estofador (Panyptila cayennensis) para o estado de Minas Gerais, na cidade de Caratinga, um achado bem importante.

A espécie ocorre no Brasil a norte de Mato Grosso e Maranhão, de Pernambuco e Alagoas até Santa Catarina, como podemos ver nos registros do Wikiaves e no mapa de distribuição da espécie no Handbook of the Birds of the World.

Mapa de ocorrência no Wikiaves à esquerda e no Handbook of The Birds of the World à direita

Sobre o achado, Rafael comenta “Sempre observo as árvores naquele local por se tratar de um local promissor para rapinantes. Vi uma estrutura que me chamou atenção, não sabia o que era até encontrar um pedaço no chão, então tiver certeza de que era ninho de ave. Esperei uns 20 minutos e nada, saí do local e continuei o caminho, na volta passei lá e vi ela sair voando e sumir. Esperei lá por mais 30 minutos e ela deu as caras.”

Material encontrado pelo Rafael (Foto: Rafael Vieira)

O ninho, segundo o Rafael, estava fixado no tronco de uma árvore no topo de um morro, há mais ou menos 5 metros de altura do solo.

Árvore em que o ninho foi avistado (Foto: Rafael Vieira)

O Andorinhão-estofador é uma espécie peculiar, tem uma característica marcante, que é a forma como constrói o seu ninho com paina, daí também vem o nome popular da espécie, “estofador”.

O ninho é uma estrutura em formato de tubo com entrada por baixo que é fixada normalmente em troncos de árvores ou saliências de tetos, varandas, etc. Construído com paina (aparência de feltro) e aglutinado com a saliva da ave, e haja saliva!

Por dentro é construída uma “prateleira” onde são depositados dois ovos. Segundo Helmut Sick ocorre de ovos ou filhotes caírem quando da entrada dos adultos no ninho. O ninho é utilizado pelos adultos de forma contínua, mesmo fora da época reprodutiva.

Fontes utilizadas:
Aves do Brasil – Mata Atlântica do Sudeste
Ornitologia Brasileira – Edição revista e ampliada
Wikiaves

Tem uma espécie de ave que sempre quis ver? Que seja difícil de ser vista na região ou mesmo que nunca foi registrada por aí? Participe das Missões do COA Brasil. É simples: Escolha uma espécie de ave da sua região que se encaixe nessas condições (raridade, nunca registrada, etc.), envie ao COA (email, whatsapp, etc.) explicando que gostaria de sair em missão atrás dela, e pronto! Nós cadastraremos sua espécie na próxima edição das Missões do COA Brasil. Veja as missões que já estão em andamento aqui.